terça-feira, abril 17, 2007

ARTES CÉNICAS



Em 1977, pisou pela primeira vez um palco para uma apresentação pública quando, de improviso, substituiu um actor no musical Os Saltimbancos, numa montagem a cargo de Cícero Farias no âmbito das comemorações do Dia dos Professores, na Escola Maria Angélica de Castro, em Rio Branco. A partir daí, o fado levou-o para o Teatro. Tornou-se actor e encenador, mas as circunstâncias obrigavam-no a outras tarefas e assim, também foi figurinista, manipulador de bonecos, compositor musical, cartazista, iluminador, cenógrafo, cenotécnico, maquiador, sonoplasta, contra-regra, assistente de produção, coreógrafo, costureiro, produtor, autor e, principalmente, um incentivador.

OS SALTIMBANCOS, de Sergio Bardotti, Luiz Enriquez. Adaptação de Chico Buarque. Grupo de moradores do 2º distrito. Encenação de Cícero Farias. Rio Branco, Acre, Brasil. PLUFT, O FANTASMINHA, de Maria Clara Machado. Teatro Equipe. Encenação de Luis Negrão. Brasília. AS COISAS ASSIM COMO SÃO ASSIM SÃO, de Edson Guedes de Morais. GRUTTA. Encenação de José Nazareno. Brasília. PLUFT, O FANTASMINHA, Grupo Sacy, Rio Branco. DIZ QUE SIM E DIZ QUE NÃO, de Bertold Brecht. Vários grupos. Encenação de Francisco Gregório Filho. OS SALTIMBANCOS, Grupo Sacy e Face a Face. Rio Branco. JOÃO DA MATA, de Raimundo Nonato da Rocha. Sem mais informações. AS AVENTURAS DE UM DIABO MALANDRO, de Maria Helena Kuhner. Grupo Sacy. Encenação de Jônatas Tavares. UMA GUERRA MAIS OU MENOS SANTA, de Mário Brasini. Adaptação de Dácio Lima. Cia. Teatro 4º Fuso. Rio Branco. VERDE QUE TE QUERO VIVO, de Nelson Braga. Grupo Sacy. RUA DO LIXO, 24, de Vital Santos, encenação de José António, Teatro Popular do SESC. POETAS CANTAM O SENTIMENTO, de Moacir Barbosa. Cia. Teatro 4º Fuso. Em comemoração aos 60 anos da Semana de Arte Moderna. CABARÉ VALENTIN, de Karl Valentin. Cia. Teatro 4º Fuso. O PASTELÃO E A TORTA, farsa medieval de autor anónimo. Cia. Teatro 4º Fuso. TORTURAS DE UM CORAÇÃO, de Ariano Suassuna, encenação de Vera Fróes, Teatro de Bonecos do SESC. REPIQUETE, de Francisco Carlos. Teatro Popular do SESC. Encenação de José Antônio. Rio Branco. QUANDO AS MÁQUINAS PARAM, de Plínio Marcos. Cia. Teatro 4º Fuso. Encenação de José Antônio. CHOQUE CULTURAL-MOCINHA DO INTERIOR NA CIDADE GRANDE, performance sob orientação de Kikha Danttas e Cléia Simões, vencedora do concurso de fantasias “Rainha do VIII FENATA” (Festival Nacional de Teatro Amador), Ponta Grossa, Paraná. O PASSARINHO, pantomima de Ricardo Bandeira. Teatro do SESC. Rio Branco. CANCÃO DE FOGO, de Jairo Lima. Teatro Popular do SESC. Encenação de José Antônio. OLIGOQUETO E O PROFESSOR ESTRAGA-TUDO, improviso em parceria com Cícero Farias para ilustrar uma palestra sobre Ecologia. Escola Maria Angélica de Castro. SAÚDE FUTEBOL CLUBE, em parceria com Terezinha Zanata e Carlos Kawahara. Cia. Teatro 4º Fuso. O JULGAMENTO DE SÓCRATES, de Platão. Adaptação para sala de aula. Ilustrou uma aula de Filosofia, na Universidade Federal do Acre. A FLORESTA EM CONSTRUÇÃO, de Alessandro Bedotte. Grupo do SESC. Encenação de Alessandro Bedotte. Porto Velho. OS SALTIMBANCOS, Grupos Quebracabeça, Arribação e Porantim. Porto Velho, Rondônia. TRIMPULIM E O MACACO APARECIDO (esquetes musicais) em parceria com Dinho Gonçalves. O TRENZINHO DO CAIPIRA. Cia.Teatro 4º Fuso, Vozalta e Quinteto de Ouro. Direcção Musical de Mestre Elias. INCÊNDIO NA FLORESTA, show do cantor Sérgio Souto. Cine Teatro Recreio, Rio Branco. ZÉ CAPIM, de Ricardo Mack Filgeuiras, encenação de Silene Farias, Grupo Sacy. A PRAÇA É DO POVO, Filme super-8. Cia Teatro 4º Fuso. Produção de Moacir Barbosa. A HISTÓRIA É UMA HISTÓRIA E O HOMEM O ÚNICO ANIMAL QUE RI, de Millôr Fernandes. Cia. Teatro 4º Fuso. Encenação de Betho Rocha. O CÔNSUL DA FLORESTA, Documentário em filme super-8 sobre o pintor Hélio Melo, com poemas de Alberto Cunha Melo. Produção com verbas colectada na comunidade. Rio Branco. O SOM DA CAIXA, vários artistas em homenagem ao músico Ladi. Cia Teatro 4º Fuso. O DIA DA MAIORIA, Grupo Quebracabeça, Porto Velho. ADÃO E EVA - UMA HISTÓRIA SEM PALAVRAS, Filme super-8. Caba Produções. Rio Branco. CANTATA ECOLÓGICA, Grupo Canto Livre Canto. Direcção Musical de Helói de Castro e João Veras. Rio Branco. ERUMAVEZ. Grupo Sacy. FLICTS, A HISTÓRIA DE UMA COR, de Aderbal Júnior. (baseada no poema homónimo de Ziraldo) Grupo Serelepes. Encenação de Ozi Cordeiro. A SEMENTINHA, (sem dados da autoria) encenação de José Antônio. Teatro do SESC, Rio Branco. DO IMPÉRIO DE GALVEZ À REPÚBLICA DO FILET MINGNON, criação colectiva. Cia Teatro 4º Fuso. Encenação de Betho Rocha. A CIDADE SEM PREFEITO, criação colectiva. Grupo Vaiaplauso. Cruzeiro do Sul, Acre. MÃE D’ÁGUA, de Raimundo Alberto. Cia Teatro 4º Fuso. Encenação de Kikha Danttas. Coreografia de Antônio Alcântara. CONCERTO TEATRAL COM CERTA TEATRALIDADE, show do cantor e compositor Gedivan de Albuquerque. Bar Maria Maria, Botafogo, Rio de Janeiro. AS AVENTURAS DE TIZINHO, de Vital Filho. Adaptada de Leandro Tocantins. VPF Arte Vídeo. Encenação de Vital Filho. Coreografia de Márcia Brito. Rio de Janeiro. CIRCO DE BALÕES, de Waldir Cândido. Cia Teatro 4º Fuso. FREI MOLAMBO, ORA PRO NOBIS, de Lurdes Ramalho. Grupo Sacy e Lanterna Mágica (Lisboa, Portugal) Encenação Kikha Danttas (Niterói), Rosângela Carnevale (Rio Branco) e Anthónio Gualdyno (Lisboa). ROSENEYRE FOGUETEIRA QUE QUASE TIROU O BRASIL DA COPA E VIROU COELHINHA DA PLAYBOY e O HOMEM DA MALA PRETA, performance em parceria com Mira Fragoso para o concurso de fantasia do baile de carnaval da TROPICALP (Associação Suíça-Brasil), no Casino de Lousane, Suíça. (2º ou 3º lugar). HISTÓRIAS DO AVÔ SAPATÃO, de Anthónio Gualdyno. Teatro de Marionetas A Lanterna Mágica. Encenação de Anthónio Gualdyno. Lisboa. A TERNURA DAS MÃOS, de Anthónio Gualdyno. A Lanterna Mágica. Encenação de Anthónio Gualdyno. PENÉLOPES URBANAS, colagem de textos e músicas de vários autores. Grupo de Retalhos e Molambos Foi Parar em Portugal. Encenação de João Veras. Rio Branco. O ROSTO DA EUROPA, série televisiva para a RTP Internacional. Um episódio como actor e outro como figurante. Realização de José Carlos de Oliveira. A ESPADA ENCANTADA, (Letra e música das canções). Apresentações no Teatro da Comuna, Lisboa. Sem mais informações. O COZINHEIRO TRAPALHÃO, de Anthónio Gualdyno. A Lanterna Mágica. Encenação de Anthónio Gualdyno. FLICTS, A HISTÓRIA DE UMA COR, poema de Ziraldo. Independente. La Bastide, Morrières-les-Avignon, França. COISAS DO ACRE, colagem de vários autores. Independente. Escola Secundária de Mem Martins, Portugal. LAÇOS DE SANGUE (BLOOD LINE), filme em coprodução Portugal, Espanha, Hungria e Polónia. Realização de Pal Erdoz. DEUX, filme. Produção Gemini Films, França. Realização de Werner Schroeter. JUSTICE DE FEMMES, filme para a televisão francesa. Realização de Claude-Michel Rome. YURI MAIARAWSKI, O MAIOR GUITARRISTA DO MUNDO, colagem de vários autores. Independente. Apresentações n’A Barraca, no Tejo bar, no Bar Konviktus e no Cefalópode. MAIARA MARIANA PEDE LICENÇA, show da cantora Maiara Mariana. Grupo de amigos do Tejo bar. Encenação de Miguel Sermão. Teatro da Comuna. O SERINGUEIRO, poesias e canções de vários autores. Grupo de amigos do Tejo bar. Casa do Brasil, Lisboa. O JUIZ DO GRANDESSÍSSIMO NARIZ, de Lurdes Branco. A Lanterna Mágica. Encenação de Anthónio Gualdyno. EM BRASA (vários autores), Grupo O Bando (por encomenda do Teatro Municipal São Luis no ciclo Outras Lisboas), encenação de João Brites e Amauri Tangará. Lisboa. CONTRA CORRENTE, de Racquel Mourão, Cia. Raízes do Mundo. 100 VITRINES (variedades), direcção de Kikha Danttas, Espaço Cultural Correia Lima, Rio de Janeiro. IV INTERTELAS (mostra de videopoemas), Auditório Henrique Fontes, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis. POESIA AO VÍDEO 2010, (obra publicada) Fliporto Digital, Pernambuco. POESIA AO VÍDEO 2011 (obra publicada) Fliporto Digital, Pernambuco. COISAS DO ACRE DA VELHA, de Druila Pacaya, direcção de Kikha Danttas, Grupo Arquéthypo, Rio de Janeiro.

1 Comments:

Blogger carmen fossari said...

Jorge Carlos
Que mágica a vida, que via internet depois de tantos anos saiba que continuas firme na artes e arteiro. Bonito seu blog, tenho escrito muito tb, teatro, cinema, agora comecei a escrever um romance.
Nunca esquecerei de tua montagem NAVALHA NA CARNE e a vivencia de vcs , na ilha,Em plena ditadura. Com os episódios de Chico Mendes,lembrava muito de vc e Francisca.
Vou sempre que puder ler teu blog, grande abraço uma alegria saber-vos...
QUE O ESPÍRITO DAS ARVORES, QUE HABITAM A FLORESTA TE PROTEJAM .

8:08 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home